02 outubro, 2013

"Esse é pra você, magrela"



Estou há mais de uma hora revolvendo um passado. Mexendo num território que é sagrado, por que jamais mudará. Ao adentrar não senti medo. Olhei nos olhos deste senhor e senti paz com um sorriso no canto da boca, um sorriso "torto" como seu de outrora. Vi minha cara séria te fitando, molenga e com um coração aos pulos. Na verdade quem dava pulos por dentro era eu, tenho um grave defeito de não conseguir transparecer o que se passa por dentro. Meu sorriso de canto quis se abrir para mostrar todos os dentes da boca ao ver um ser esguio andar pela rua. Você, que insistia em dizer que era magricela demais, eu rindo por dentro só queria que você compreendesse o que era justamente o seu tamanho, forma, jeitos, defeitos [que eu destaaaaaaaaaaava mas amava ao mesmo tempo] era o que faltava-me. Alguém que desafiei a me amar e em troca, desafiou-me a sentir. Sentir TUDO. Dor, amor, desejo, raiva, esperança, angústia, solidão, fé, tristeza, alegria, silêncio... são algumas das que posso citar. Garota toda diferente dos "padrões" na qual eu estava acostumada. Hoje posso te dizer que: não, você não me chamaria a atenção na rua... porém não foi preciso. Acertou na primeira chance, no gesto, no olhar e no que deixou-se mostrar. Enlouqueci. Perdi o princípio da razão ao dar o primeiro passo por que para me aproximar e finalmente estar ao seu lado, era preciso tirar os pés do chão. Como num passe de mágica, deixei conceitos que segui até esbarrar com sua existência e saltei para algo que jamais pude imaginar no que se tornaria. Eu quis sentir e foi feito. Pra isso, você me levou num voo sem escala ao mais alto do céu e de lá, soltou-me no ar. O resultado dessa experiência vivenciada ecoa ainda hoje. E não, não te amaldiçoo por isso. Foram quebradas muitas coisas na queda e uma delas foi algo importantíssimo: meu muro rachou, abriu um pequeno buraco. Você bem sabe que rachadura em represa causa um "estrago" enorme. E lá se foram litros de sentimentos escoados a base de lágrimas. Uma correnteza de tamanha força que eu não teria conhecimento sem essa queda. Assim como a elevação, tocar o céu ao sentir a mais profunda das sensações até perder os sentidos, algo que sequer deixava-me falar, embora eu quisesse gritar... só os olhos, delatores como sempre faziam este imenso favor ao meu ser. Relembro todas essas memórias e penso solo: "que vadia, teve a petulância de fazer isso comigo. Que corajosa" e me veio outro sorriso de canto pra confirmar oque constatei anos atrás. Você se subestimava demais. Talvez você pôde ver enquanto eu caía, o quanto meus olhos se iluminaram ao te ver na mesma linha que o sol, um brilho que ofuscava. Você foi meu sol, besta. Com a luz e temperatura compatíveis ao astro rei. Aliás, o sol é o que mesmo? uma estrela!
Uma queda livre de tempo indeterminado me fez outra pessoa. Toda vez que olho pra cima, agora, vejo uma bola brilhar e eu lembro que não é o sol que a maioria das pessoas creem o que é aquilo lá em cima. Então, espero que você se lembre de quem é. Este texto nasceu assim para poder te dizer: Obrigada, por tudo. E que você saiba oque eu sempre tive a certeza, mesmo desistindo  por conta das dificuldades e dores e intensidade que foi-me demandada: você foi o amor da minha vida, me levando do céu ao inferno e vice-versa tantas vezes. Escrevo isso sorrindo. Guarde-o com carinho se puder e quiser. Assim como a guardarei para sempre em minha memória e no meu coração duro.    


"Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir."

Um comentário:

Bela. disse...

Confesso que deixei de visitar esse blog há um tempo, quase não chego a esse texto. Mas hoje foi um dia de surpresas. Também li sorrindo. Eu que agradeço por olhar pra essa história com carinho. Eu que devo lhe agradecer por reconhecer que essa rachadura foi importante. Lembre-se que pegar jacaré na onda é bem melhor que tomar um caldo. rsrs (foi mal a metáfora pobre, mas vc entendeu). Esse texto veio em boa hora, me senti bem. Obrigada de verdade.
Ah! Não sei se sei bem o que sou, e nem se gosto do que sou, mas estou tentando melhorar, silenciar e/ou aceitar.
Se cuida!
Você tá dentro do meu coração também! :)